Recuperação Judicial

         A Recuperação Judicial é abordada no capítulo três da Lei de falências e Recuperação de Empresas (LFRE), de 2005.

             De acordo com a lei, a Recuperação Judicial tem como objetivo viabilizar que a empresa supere a situação de crise econômica-financeira, buscando evitar a falência.

             Com isso, a empresa mantém sua produção, o emprego dos trabalhadores e o interesses dos credores (que querem ser pagos), promovendo, assim, a preservação da empresa, sua função social e o estimulo à economia.

Como Funciona a Recuperação Judicial:

O pedido de recuperação judicial deve ser feito na Justiça.

A partir do pedido, a empresa tem seis meses para tentar um acordo com credores sobre um plano de recuperação que definirá como sairá da crise financeira.

Assim que entra com o pedido de recuperação judicial, a empresa precisa apresentar um processo para o juiz. O juiz analisa esse processo e se a documentação estiver completa, emite o despacho que autoriza a recuperação.

Caso o juíz identifique algum documento fatando no processo, ele deve pedir para a empresa completar a documentação. Após o despacho, a empresa tem 60 dias para apresentar o plano de recuperação à Justiça (caso contrário, o juiz decreta sua falência). Apresentando o plano, o juiz vai divulgar esse plano para que os credores se manifestem.

Os credores tem 180 dias (contados a partir do despacho) para aprovar ou não o plano. Se aprovado, a empresa entra em processo de recuperação. Se não for aprovado, o juiz decreta a falência da empresa. A negociação entre as partes é intermediada por um administrador judicial nomeado pela Justiça.


Recoveyr - Logotipo - Emblema

 

 

A Recovery Group  possui Uma assessoria completa, com soluções de serviços, Tributários, Reestruturação de empresas e recuperação de crédito.

 

 

Serviços prestados com muita

dedicação na Capital Gaúcha

Porto Alegre/RS

Copyrights © 2019 – Todos direitos protegidos a Recovery Group

WhatsApp chat